CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ter participado do IV Congresso Latinoamericano de Cultura Viva Comunitária foi uma experiência muito rica. Eu não havia viajado pela América Latina antes, não conhecia os outros povos latino-americanos e descobri que em muitos aspectos, como o humor no enfrentamento das dificuldades e nas relações sociais, somos muito parecidos, muito irmãos. Já nos aspectos culturais e políticos, eles me pareceram mais evoluídos, mais firmes, mais conhecedores da história. A necessidade de descolonização cultural do continente, já se evidencia pelo nome que deveria América Mestiça.

Do convívio da longa viagem no “Micro – 2”, o ônibus que me levava, surgiram muitas amizades: Manuel (do Equador), Diana Obsi, Carmem e Maria José (de Costa Rica), a belíssima coordenadora Rosana (da Argentina), e muitos outros, principalmente  os brasileiros e seus movimentos do Ceará, Brasília e Rio de Janeiro, que eu desconhecia.

O conteúdo cultural e alimento espiritual foi tão rico que as dificuldades ficaram num segundo plano. Houve problemas sim: filas e esperas intermináveis pela chegada dos ônibus que nos levariam aos alojamentos, banhos gelados, alimentação meio precária, poucas horas de sono… mas tudo a gente superava, nem dava pra acreditar, num instante estávamos bem dispostos e preparados para seguir viagem. Percorrer a Argentina em caravana foi difícil e maravilhoso! Os organizadores estão de parabéns! Uma experiência que deixará marcas profundas em cada um dos participantes, uma experiência que é para a vida toda!

Vamos nos organizar para o próximo. O V Congresso vai acontecer no Peru, em 2022!

 

60562091_10218933225343133_6759712112206938112_o     60591726_10218921029398242_4310208172133449728_o

 

Ayaya

Haiaia ou Ayaya é um grito que expressa um sentimento profundo de admiração, felicidade, esperança, força, poder, assim seja. No meu entender, se parece com a palavra AXÉ ou ASÉ.

.

AGRADECIMENTOS:

          a Dinho e Gabriel Nascimento

          a Poliana Helena, a Palhaça Jujuba

          a Nelson Conde

          a Fernanda, João Nascimento e DJ Pepeu (Instituto Nação)

         a Júnior Paixão (Casa de Cultura Tainã)

.

Texto  escrito com apoio da

Secretaria Municipal de Cultura da Prefeitura Municipal de São Paulo.

régua de logos_cultura viva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *